Monday, January 18, 2010

No túnel do tempo 2...




Eu e os meus amores... Bem, o filho não gosta de aparecer em fotos, mas entre mãe e filho a autoridade prevalece com a mãe...rs Já com o marido eu nem sou besta de brigar porque o moço tem um gênio muito brabo! rsrsrs Ele é descendente de índios e eu digo que não perdeu o velho costume dos antepassados: acredita que a foto vai roubar a sua alma! :-)

Para solucionar isso e não desagradar ninguém, arrumei fotos em que estamos todos meio disfarçados... Eu tb adoro essas fotos! com certeza entram para a minha lista de preferidas.

Vamos de novo falar um pouco de cada uma, de baixo para cima:

1) Girando... (comecinho de 2005) - Acho esta foto quase uma obra de arte! Ela tem movimento; a cor da minha blusa deu vida aos tons marrom e preto (cabelos, paredes, cadeira, calça); eu e o filhote estamos muito engraçados com o sorriso grudado no rosto... O interessante é que esta foi uma época bem braba, ainda me recuperando de 2004... O ano de 2004 foi o meu particular "ano que não acabou" (ou seria melhor que nunca tivesse começado, sei lá!rs), aliás, é até injustiça falar isso de 2004, porque 2003 e 2002 foram igualmente terríveis!!!! rsrsrsrsrs A gente ri agora que já passou... Ufa... Graças! Mas na época pensei que não ia dar conta. Mas neste dia da foto, eu lembro bem, eu estava especialmente alegre, creio que eram os primeiros sinais da cura que aconteceria daí a uns 6 meses.

2) Abraço de dissolução (agosto de 2006) - Quando ainda éramos "somente bons amigos" (rs), certa vez nos encontramos depois de muito tempo de distância (conversávamos sempre pela net, mas 280km nos separavam fisicamente) e nos abraçamos. Ele depois comentou que aquilo era um "abraço de dissolução" porque parecia que, ao me abraçar, ele se desfazia, desintegrava, desaparecia. Achei aquilo tão louco... E legaaaalll (yeah!rs) Engraçado, não senti algo tão dramático, mas é fato que sempre que nos encontrávamos, seja pela net ou pessoalmente, eu me sentia tão bem! Mudando de gênero a música do Lulu Santos, "ele me faz tão bem... ele me faz tão beeeeem... que eu também quero fazer isso por ele..." Era assim. Sempre foi! Eu nem ligava de parecer boba na frente dele, não precisava ser sempre forte, sempre perfeita, sempre madura. Talvez esse tenha sido o fator diferencial primeiro e mais impactante da nossa relação: ao contrário do restante do planeta, ele nunca me julgava! Nunca esperava nada de mim... Nunca fazia cara de decepção de eu agisse de forma "errada". E sempre me dava colo quando eu precisava. Eu sentia um tipo de "amor incondicional" vindo dele. Totalmente sem cobranças. Por isso ele foi meu melhor amigo durante tantos anos e um certo dia, de forma totalmente inusitada, virou meu melhor amor. É uma história bem bonita... eu acho :-) Nesta foto, era inverno (dá pra notar pelos agasalhos) e ele tinha vindo morar comigo há poucos meses, ainda estávamos na casa dos meus pais.

3) Meus dois amores (final de 2008) - Fomos passear no Parque das Águas e eu bem deixei os dois meninos andando na frente e fui tirando várias fotos. Meninos são engraçados...rs Eles falam pouco, pulam muito, se remexem, fazem barra e flexões toda vez que vêem um banco de cimento...rs Acho esta foto linda, com os raios de sol batendo e as sombras no chão.

4) Metade (começo de 2009) - Eu e filhote. Os dois acalorados, lagarteando em casa... Meu capricorniano é tão sério...rsrsrs

3 comments:

Cláudia Paulino said...

Lindaaaaaas as fotos, Claudinha!!!
E mais linda ainda é a maneira que vc fala delas, e o amor que vc sente por esses moços...
Rapazes de sorte !!!
E vc tbm, né ??? Dá pra sentir que existe muuuuuito amor por aí !!!
Beijoooooooocas com carinho

HAZEL said...

Todas fotos lindas, genuínas e encantadoras. Obrigada pela partilha, querida.

Adorei ver-te de Morgana das Fadas! ;)

Cláudia Mello said...

Oi, queridonas!!!

Muito obrigada!! :-)))

grande beijo, Claudinha
grande beijo, Hazel