Tuesday, May 22, 2007

Amores, amoras e morangos

Tenho achado esta experiência de amar muito estranha. Tenho achado, cá pra nós, tudo em relação a todos (inclusive eu mesma) muito estranho. Então parei de tentar explicar e buscar a lógica. Simplesmente sinto! Mas o que a gente faz com aquilo que a gente sente, mas não gosta?

As amoreiras do meu quintal, desrespeitando os ciclos da Natureza, estão repletas de frutos às vésperas do inverno. Por que eu, desrespeitando os ciclos da minha própria Natureza, não posso agir como uma adolescente?

Nem que seja uma vez por semana! É assim que quero... É assim que gosto...

Não me permiti tantas coisas durante a vida (pelo menos até agora), e quando me permiti, na verdade, apenas fechei os olhos e me omiti da responsabilidade de meus próprios atos. Tem um algoz perdido em algum lugar da minha cabeça e ainda não reuni forças para expulsá-lo de vez. No máximo coloco-o de férias, mas logo vem ele de volta... gritando dentro de mim.

O problema não está lá fora, mas aqui... Por isso choro às vezes, igual ao céu cinzento que me emoldura agora.

Nessas horas dá vontade de comer morango com creme ou chocolate e beber vinho ou beijos do meu amor. Dá vontade de não ter tantas vontades e ainda assim sorrir. Amores, amoras e morangos... São todos frutas... nem tão doces...

2 comments:

Fernando Augusto said...

Oi Amor A dicionei um link do seu blog em nosso blog - www.saolourenco.blogspot.com

Beijos de BFQ!

Gilson Junior said...

Tá virando lia luft?